terça-feira, 28 de março de 2017

Lançamento do Livro 'Vindiciae Contra Tyrannos- O Direito de Resistir'

Vindiciae Contra Tyrannos - O Direito de Resistir (463 págs.), ISBN 978-85-9470-006-3, Discurso Editorial. Pedidos ou Encomendas para o Atelier do Saber (atelierdosaber@hotmail.com)

Sinopse: A análise e contextualização aliadas à primeira tradução para o português do clássico da Filosofia Política renascentista, Vindiciae contra Tyrannos, brindam-nos com a excelente oportunidade de observar a construção dos argumentos da luta contra a tirania em prol de uma teoria contratual de Estado, bem como a defesa da liberdade de consciência e expressão da fé realizadas por Stephanus Junius Brutus.
Se considerarmos a força dos argumentos e a modernidade das ideias apresentadas, entenderemos porque este tratado se tornou infame perante as autoridades estabelecidas nos séculos XVI e XVII.
Os escritores monarcômacos enquanto apresentavam seus argumentos contra a tirania em meio às Guerras de Religião, num vislumbre quase futurista, lançaram também as bases contratuais da democracia representativa.

Divisão da Obra Vindiciae Contra Tyrannos – O Direito de Resistir
Quatro Partes:
Na primeira parte do livro, após uma apresentação do fenômeno da tirania desde a antiguidade até o século XXI, é apresentada a narrativa histórica das Guerras de Religião, envolvendo seus personagens e principais acontecimentos. A narrativa é dinâmica, breve e didaticamente compreensível, e ao mesmo tempo, fidedigna e consistente com os fatos e referências dos principais historiadores franceses: acordos, divergências, romances, torneios, disputas, julgamentos, fé, casamentos, intrigas, assembleias, manipulação, traição, tramas, e é claro, os horrores da guerra fratricida.
Na segunda parte está a análise da obra Vindiciae Contra Tyrannos, uma obra que causou grande impacto em todos os segmentos da população francesa, pois ousava questionar a centralização do poder nas mãos do rei. E com argumentos que vão surpreender os leitores (baseados no Direito Romano, na História dos Povos e nas Sagradas Escrituras), ao mesmo tempo em que defendia a liberdade de consciência e expressão da fé, questionava a legitimidade do poder do rei se este agisse contrariamente aos propósitos de um bom governo. Chegava ao ponto de dar aos magistrados, representantes do povo, o direito de depor um governante se ele fosse um tirano. Quais argumentos e teses defende o autor das Vindiciae?
Na terceira parte está a tradução do texto completo das Vindiciae Contra Tyrannos. A tradução foi feita a partir do texto latino, com cotejamento das versões francesa e inglesa. Nesta parte, além da Introdução, estão as Quatro grandes questões feitas e respondidas por Stephanus Junius Brutus e o Poema Final.
Na quarta parte está um Apêndice com a análise das duas obras que antecederam as VindiciaeFranco-Gallia e Le Droit des Magistrats. Além disso, ali também estão de forma resumida, as histórias de vida dos principais personagens das Guerras de Religião e uma breve análise dos fundamentos da teoria contratual.


Pedidos:
Envie seu nome completo e endereço (comercial ou residencial) para o Atelier do Saber (atelierdosaber@hotmail.com) e receberá o exemplar em sua casa. A obra está no valor promocional de lançamento. De R$ 108,00, com o desconto promocional sai por R$ 78,00 + taxa de envio (custo do correio).

Nenhum comentário:

Postar um comentário